Groenlândia, 508 - Jardim América - São Paulo - SP - 01434-000

Tratamentos e Procedimentos

, ID:51
13 Jan 2022

Procedimentos minimamente invasivos

Procedimentos minimamente invasivos: o que são?
Procedimentos minimamente invasivos, invadem qualquer parte interna do corpo humano, porém com menores incisões e deslocamentos, sem precisar recorrer a grandes cortes.
Entre estes procedimentos existentes, no tratamento para dor crônica, existe a técnica de Bloqueio.


O que é bloqueio para o tratamento da dor?
O bloqueio para dor pode ser usado tanto na prevenção quanto no tratamento de dores crônicas. Seu intuito é realizar uma medicação em um local específico, como nervo, músculo, tendão, subdérmico, peridural e averiguar sua ação.
Em princípio, são realizados testes para verificar a intensidade da dor, através da analgesia.

Essa intensidade é medida pela escada analgésica desde o primeiro grau que consiste em dores fracas até o quarto e último grau para dores intensas.
Após ser verificada a necessidade de se realizar o bloqueio para dor, é realizado um procedimento minimamente invasivo. Nele, os impulsos sensoriais do paciente são interrompidos temporariamente, com o intuito de bloquear e se possível eliminar a dor por completo. 


Processo para bloqueio de dor inflamatória:
Este procedimento minimamente invasivo no bloqueio da dor consiste no uso de anestesia local, pois geralmente são realizados em uma área específica. Mas também podem englobar anti-inflamatórios. Tudo depende da escala da dor, como foi explicado.
Durante o processo vários fatores influenciam na recuperação.

Cada caso é específico, porém há pacientes que após a realização do bloqueio ficam horas sem dor, ou até semanas. Por isso todo o tratamento é importante, para que sejam realizadas ações específicas visando a recuperação total ou máxima do paciente na medida do possível.
A Dra. Alexandra Raffaini especialista no tratamento da dor sabe exatamente como te ajudar!
Com anos de experiência e reconhecida no Brasil por seu excelente trabalho na área médica, você terá todo o suporte e acompanhamento que precisa.

Aqui na Ilumini Clinic devolver a sua saúde e qualidade de vida é a nossa missão. Afinal, viver com dor nunca é uma opção.
 
, ID:197
13 Jan 2022

Toxina Botulínica

Toxina botulínica o que é:
A toxina botulínica, também conhecida popularmente por botox, é uma neurotoxina produzida pela bactéria Clostridium Botulinum, relacionada à doença do Botulismo.
Para o uso estético ou em tratamentos é utilizada a toxina botulínica tipo A, que por ser aplicada em uma concentração pequena, não gera risco à saúde do paciente.


Toxina botulínica para que serve:
Ela induz a paralisia do músculo  flácido, sem comprometer a condução neuronal, impedindo a liberação de acetilcolina. Esse mecanismo atua na contração e tônus muscular.
Ao realizar o relaxamento do músculo, a toxina botulínica evita o surgimento de novas rugas e suaviza as já existentes.

No tratamento da dor é usada nos músculos para relaxar e junto com a fisioterapia realizar o tratamento ideal.
Também pode ser usado em outro objetivo, como no caso do tratamento para dores de cabeça (cefaleia).


Tratamento com toxina botulínica:
Há mais de 20 anos a Toxina Botulínica (TXB) está sendo utilizada no tratamento de doenças decorrentes do aumento do tônus muscular, como ocorre na espasticidade, e a cerca de uma década o uso dela estendeu-se para o tratamento de dores musculares crônicas.

A Síndrome Dolorosa Miofascial Crônica (SDM), por exemplo, apresenta dor muscular normalmente em queimação ou peso, que piora a movimentação e a palpação de bandas musculares tensas. 
Na dor miofascial encontramos a presença dessas bandas musculares tensas conhecidas como pontos-gatilho, esses pontos muitas vezes geram dor crônica e persistente.

Para o tratamento da síndrome dolorosa, a medicina dispõe de várias ferramentas, como medicamentos, desativação do ponto-gatilho com terapia manual, agulhamento seco e infiltração com anestésico local são comumente usados. 
Alguns estudos demonstraram o benefício do uso da toxina botulínica no tratamento desta síndrome.

O início de ação ocorre de 2 a 5 dias, com pico máximo em 2 semanas, e duração média de 3 a 4 meses. 
Aplicações repetidas realizadas em curtos períodos de tempo podem induzir a formação de anticorpos contra toxina botulínica. Esses anticorpos contribuem para diminuição do efeito desejado.
Como você pode ver seu uso vai muito além da estética, auxiliando no tratamento da dor de diversos pacientes.

Nossa Dra. Alexandra Raffaini especialista nestes casos, já atendeu dezenas de pacientes que necessitam deste tratamento. E este pode ser o seu caso! 
Mas não se preocupe, aqui na Ilumini Clinic sua saúde está em primeiro lugar.
Tenha acesso ao melhor tratamento da dor com quem realmente entende e é referência no Brasil. 


 
, ID:56
13 Jan 2022

Bloqueios no tratamento da dor

O bloqueio da dor consiste na administração de uma ou mais medicações (anestésicos, anti-inflamatórios ou outras substâncias) em uma estrutura específica que pode ser nervo, plexo, músculo e espaço peridural.
Os bloqueios têm duas importantes funções: a primeira é diagnóstica possibilitando, muitas vezes, o reconhecimento da estrutura que está desencadeando o quadro doloroso, outra função é contribuir com o tratamento da dor.

Neste processo a medicina intervencionista da dor tem se empenhado cada vez mais na busca de cuidados, técnicas e ferramentas para os tratamentos das síndromes dolorosas, entre eles os bloqueios.
A medicina intervencionista da dor é a área da medicina voltada para análises e soluções em tratamentos e diagnósticos de diversos tipos de dores.

Neste caso, os bloqueios comumente utilizado no tratamento de diferentes tipos de dor como as musculares, decorrentes de hérnia de disco, e outras dores na coluna, artroses, cefaleia, dor pós-operatória, neuralgia pós-herpética, síndrome dolorosa complexa regional, entre outras. 
São normalmente guiados por um método de imagem como ultrassonografia ou radioscopia, aumentando a acurácia e segurança do procedimento.

Os bloqueios têm como alvo o nervo sensorial desencadeante da dor, ou determinada área do corpo. A técnica é utilizada com o objetivo de interromper os sinais dolorosos, reduzindo o desconforto. A duração de cada bloqueio varia de acordo com o tipo de dor e procedimento realizado.
Os procedimentos minimamente invasivos juntamente com o tratamento farmacológico são os pilares do tratamento da dor que afeta em torno de 70-80% das pessoas em algum momento da vida, uma estimativa de 60 milhões de pessoas somente no Brasil. 

Se considerarmos apenas as dores crônicas, a prevalência é de 11% a 55%, uma média de 35,5%, segundo dados da Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor (SBED).
Os recursos utilizados pela medicina intervencionista da dor, também denominado de bloqueios diagnósticos, bloqueios prognósticos ou bloqueios terapêuticos, podem fazer a diferença na vida das pessoas que sofrem com as síndromes dolorosas, ajudando a controlar a dor e devolver qualidade de vida.

Aqui na Ilumini Clinic nós acreditamos que ter um corpo saudável e sem dor é essencial para uma vida feliz.
Nenhuma dor deve ser normalizada!
Para entender todos os nossos procedimentos e ter o acompanhamento da Dra. Alexandra Raffaini, especialista em tratamentos da dor, marque sua consulta abaixo.
 
 
, ID:52
13 Jan 2022

Fisioterapia no tratamento da dor

O que é fisioterapia?
A fisioterapia faz parte da ciência que busca contribuir com o tratamento do paciente. Seu objetivo é acelerar na medida do possível a recuperação da área lesionada.
Sua atuação é ampla, podendo abranger áreas como oncologia, obstetrícia, terapias, psiquiatria e várias outras.

A fisioterapia no tratamento da dor é fundamental para a qualidade de vida do paciente.
Desta forma, podemos abranger a fisioterapia no tratamento da dor em várias áreas do corpo humano, sendo as mais comuns:
 
  • Fisioterapia para dor no ombro
  • Fisioterapia para dor na coluna
  • Fisioterapia para dor nas costas
  • Fisioterapia para dor no braço
  • Fisioterapia para dor na escápula
  • Fisioterapia para dor no tornozelo
  • Fisioterapia para dor no cóccix
  • Fisioterapia para dor no joelho
  • Fisioterapia para dor lombar
     
Dentre os tipos de fisioterapias existentes nos tratamentos, destacamos aqui a fisioterapia manipulativa.


O que é a Fisioterapia manipulativa:
O Fisioterapeuta manipulativo é o profissional que atua com técnicas da terapia manual baseadas em evidências. 
Na terapia manual o paciente deve ser investigado como um todo, avaliando os locais onde há dor. Como o nome já diz, tudo ocorre manualmente, com as mãos do profissional realizando as avaliações e o tratamento.
Entre seus principais objetivos estão a redução da dor e a restauração da função normal.

O diagnóstico é realizado após uma série de exames e avaliações criteriosas, que indicam o melhor método de tratamento. Existem estudos que relacionam a terapia manual com as funções fisiológicas e biomecânicas do corpo humano, relacionando a dor e a inflamação da área lesionada com a mobilidade restrita do paciente.
Desta forma, entender a relação do corpo humano como um todo, utilizar os métodos da terapia manual para indicar e corrigir disfunções musculares, nas articulações, coluna vertebral entre outras áreas, é fundamental no tratamento da dor.


Aparelhos de fisioterapia para dor
Os aparelhos de fisioterapia para dor contribuem no tratamento e recuperação do paciente.
A atuação é bem diversificada incluindo laser (fototerapia), ultrassom , estimulação elétrica, e vários outros recursos que a tecnologia proporciona nos dias atuais.

É importante lembrar que cada caso deve ser avaliado pela equipe (médico e fisioterapeuta) responsável.
Você pode contar com uma equipe especializada pronta para te atender aqui na Ilumini Clinic, além de toda estrutura necessária para realizar seu tratamento em um só lugar.
 
, ID:60
13 Jan 2022

Psicologia da dor

A implicação da dor na vida de pacientes é complexa e profunda e a psicologia da dor se torna cada vez mais efetiva. Sintomas importantes como depressão, ansiedade e estresse se instalam e têm efeitos negativos, comprometendo o sono, apetite, libido, humor, energia, capacidade de concentração e capacidade para desenvolvimento de atividades familiares, profissionais e sociais.  

A relação do paciente com suas dores produzem sentimentos que podem interferir diretamente no processo de recuperação.
Na psicologia no tratamento da dor, a avaliação profissional consiste além dos fatores físicos, abrangendo também o mental e o emocional. Desta forma, o psicólogo da dor une a emoção a dinâmicas interpessoais que favorecem o diagnóstico mais preciso, até mesmo se tratando de dores crônicas. 

Observamos a experiência pessoal da dor, sua função e limitações, as relações afetadas e a dimensão social que inclui estigmas e status social alterado pela doença. 
O trabalho treina habilidades, tem foco na redefinição de como o paciente compreende e interage com a dor, retomando assim o interesse em grande parte dos eventos do mundo externo, afetados pelo seu estado geral. O paciente torna-se agente ativo de sua vida.

É muito importante que o tratamento seja realizado por uma equipe multiprofissional qualificada e integrada com avaliações precisas e continuadas, trabalhando simultaneamente questões de ordem biológica, emocional, sociocultural e ambiental que contribuem para o aumento da sensação de dor.

A psicologia da dor dentro desta equipe se concentra no resgate da sensação de dignidade e na busca da capacidade de enfrentamento da dor. Neste aspecto, a medicina integrativa se mostra eficaz e necessária, cuidando do corpo como um todo.
Quer saber mais sobre a psicologia da dor? Aqui a sua recuperação integral é o nosso foco, garantindo seu bem estar.

Com a Dr. Alexandra Raffaini, referência no tratamento da dor, você terá a orientação e os cuidados de uma das melhores médicas do país nesta área.
 
, ID:200
13 Jan 2022

Síndrome da Dor Complexa Regional

O que é a Síndrome da Dor Complexa Regional?
É uma desordem neuropática que pode levar à dor, alteração de temperatura, sudorese, coloração da pele e também transtornos motores, causando grande impacto na vida dos doentes. Normalmente ela se instala em um membro, sendo a incidência maior nos membros superiores, podendo se estender para outras extremidades como perna e pé.
 
Esta síndrome está selecionada entre as 10 piores dores existentes no corpo humano, levando o paciente a passar por momentos extremos de dor.
É mais comum entre mulheres com idade de 40 a 60 anos.
 
 
O que causa a Síndrome da Dor Complexa Regional?
Síndrome Dolorosa Complexa Regional (SDCR) é associada a fatores desencadeantes ocasionais, como fraturas, traumas, cirurgias, imobilizações, sendo que em cerca de 10% dos casos não foi encontrado o fator desencadeante. 
Quando a lesão é associada ao tecido mole ou ósseo, ocorre a Síndrome da Dor Complexa Regional Tipo 1, também conhecida como distrofia simpática reflexa.
 
Já a Síndrome da Dor Complexa Regional Tipo 2, a lesão ocorre no nervo, também chamada de causalgia.
 
 
Diagnóstico da Síndrome da Dor Complexa Regional:
A fisiopatologia da SDCR ainda desafia a medicina e requer especial atenção para realização do correto diagnóstico e no tratamento indicado para cada paciente. Em geral as causas são desconhecidas, dificultando que seu diagnóstico seja certificado mais rápido.
 
Apesar do principal sintoma do problema ser a dor, os pacientes podem apresentar um quadro de intensa sensibilidade, queimação, formigamento, acompanhados ou não de alterações motoras, sudorese e coloração da pele. Por isso, o diagnóstico é clínico. 
Muitas vezes, a pessoa que apresenta a  Síndrome da Dor Complexa Regional, possui a participação nas atividades diárias comprometida, assim como a vida social e psicológica afetada.
 
 
Tratamento da Síndrome da Dor Complexa Regional:
No tratamento da Síndrome Dolorosa Complexa Regional são utilizados recursos fisioterápicos.
Além do tratamento fisioterápico, também podem ser adotados tratamento medicamentoso, bloqueios simpáticos e somáticos e em alguns casos métodos cirúrgicos de neuroestimulação.
 
Como é possível perceber, o diagnóstico e tratamento da Síndrome da Dor Complexa Regional são complexos e de extrema importância na vida do paciente. Além de afetar fisicamente, a síndrome também pode atingir o psicológico, tornando o processo ainda mais difícil.
 
Por isso, é primordial que tanto o médico quanto a equipe de profissionais selecionados estejam aptos para realizarem os melhores tratamentos.
Aqui na Ilumini Clinic nossa especialista no tratamento da dor, Alexandra Raffaini é referência nesta área de atuação.
Junto com a nossa equipe, você terá todo o apoio e suporte que precisa durante o tratamento.